Páginas

GOVERNO DO MARANHÃO

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

GOVERNADOR FLÁVIO DINO ACOMPANHA DESFILE DA INDEPENDÊNCIA EM SÃO LUÍS

O MOMENTO FOI DE UNIÃO E RESPEITO PELO BRASIL EM LEMBRANÇA JUSTA AOS PARTÍCIPES DA INDEPENDÊNCIA, DISSE  O GOVERNADOR FLÁVIO DINO.

Gov. Flávio Dino  e comitiva
Patriotismo, cidadania, orgulho. Sentimentos que tomaram os corações das milhares de pessoas que participaram do Desfile da Independência, na manhã desta quarta-feira (7), na Avenida Vitorino Freire, Areinha. Organizado pela Forças Armadas, por meio do 24º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), com apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), o desfile reuniu militares, estudantes e a população, demonstrando o entusiasmo em reverenciar a Pátria neste grande ato cívico. Quem desfilou, levou para a avenida a história e feitos heroicos homenageando as Forças Nacionais em um espetáculo prestigiado por mais de 15 mil pessoas.

O momento foi de união e respeito pelo Brasil em lembrança justa aos partícipes da Independência, pontuou o governador Flávio Dino, que se fez presente no ato. Ele destacou que o evento representa a homenagem àqueles que lutaram e continuam a lutar pela grandeza do nosso país e pela soberania nacional. “É um momento em que mobilizamos a sociedade para o desfile militar celebrando os símbolos nacionais por amor ao país e àqueles que fazem o Brasil. Minha presença aqui representando o nosso Estado, o poder civil e a sociedade é para prestar essa homenagem aos que fizeram a Pátria ontem e que continuarão fazendo hoje. É uma tradição muito importante para o país e para o nosso Estado”, enfatizou o governador do Maranhão.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela, o desfile tem uma importância histórica e de esperança aos que constroem a história do país todos os dias. “Neste ato comemoramos juntos, Forças Armadas, autoridades e sociedade, a independência que trouxe a marca dos que queriam um país livre e desenvolvido com uma realidade melhor para todos”, enfatizou Portela.

“Nos alegra a reunião nesta data histórica e importante, e, ao estarmos juntos à sociedade, vemos a integração das instituições e o que ela proporciona à população nesta grande festa”, destacou o Comandante do 24º Batalhão de Caçadores do Exército, tenente coronel Carlos Frederico de Azevedo Pires. Foram 400 militares, 12 viaturas e a Banda de Música da instituição abrindo o desfile da Independência. Na passagem, o comandante cumprimentou veteranos de guerra e saudou o público.
                     
Da rede estadual participaram do desfile cerca de 700 alunos do Colégio Militar Tiradentes, além de 267 alunos do Colégio Militar 2 de Julho e 50 estudantes da escola Salustiano Trindade. Policiais Militares e do Corpo de Bombeiros também marcaram presença no tradicional desfile. Alunos da Escolinha de Música Dó Ré Mi, criada na gestão Flávio Dino, abriu a participação dos estudantes no ato cívico. Integrando a Polícia Militar do Maranhão, a unidade possui 110 alunos e funciona no Comando Geral da PM, no Calhau. São atendidas crianças e jovens carentes da capital de bairros como Ilhinha, São Francisco, Anjo da Guarda, Liberdade, Bequimão, Cidade Operária, Cidade Olímpica e Maiobão.

Carlos Augusto, 14 anos, morador do Bequimão e aluno da unidade, estava emocionado com a oportunidade de fazer parte da escolinha e representar a pátria no evento cívico. “Estou gostando muito de seguir o regimento militar onde aprendemos a ser um bom cidadão. Esse é um começo para um futuro melhor que posso ter na música ou em outra oportunidade, com a participação nesse grupo”, disse o jovem. Funcionando há cinco meses, a escola tem como meta formar profissionais na música em vários instrumentos, incluindo cordas e sopro e retirá-los de situações de risco.

Aluna do Colégio Militar Tiradentes, a estudante Nayara Raquel, 16 anos, está em seu quinto desfile, mas a emoção é sempre igual à primeira vez. “Estar aqui é confirmar o amor à pátria e honrar nosso país. É uma das ocasiões mais especiais e onde todos os núcleos da sociedade se reúnem. É um evento muito bonito e emocionante e faço sempre questão de participar”, relatou. Os pais e mães acompanharam os filhos que desfilavam e fizeram questão de registrar esse momento único da soberania nacional.

Foi o caso do funcionário Público Ederaldo Cerqueira, pai de Irlana, de 14 anos. Para ele, o orgulho resume o momento. “Para mim não tem preço. Muito gratificante e emocionante ver minha filha e não poderia deixar de fazer parte neste momento”, disse ele, que durante seis anos serviu o Exército e participou dos desfiles. Para a filha Irlana, que desfilava pela primeira vez, “foi uma experiência maravilhosa poder estar junto das pessoas que fazem a soberania do nosso país e vou participar todos os anos que puder”.

A operadora de Telemarketing, Aurilene Soares, compareceu com a filha Sofia, de seis anos, para relembrar o momento vivido por ela quando criança. “Quis continuar uma tradição e trazer ela para conhecer. Acho mesmo interessante ver nossas Forças de Segurança, o que o país proporciona para nós nesta área, e acho também muito bonito. Sei que ela também vai gostar”, disse. Aurilene relatou que costumava assistir aos desfiles com o pai, quando ainda era criança. A pequena Maria Luiza, de sete anos, é filha de militar e sempre se faz presente no desfile. “Gosto de ver as pessoas marchando e foi nossa Independência. Acho muito bonito”.
                        
Ato cívico-militar

O desfile teve início às 8h, com o hasteamento das bandeiras do Brasil, do Maranhão e de São Luís marcando o início do ato. Acompanhadas pela Banda Marcial da Polícia Militar, bandas municipais e estaduais, as escolas entraram na avenida desfilando temas ligados à história das Forças Armadas e das instituições ao longo dos tempos. Os estudantes traziam faixas e cartazes com mensagens alusivas à pátria e importância do ensino. A marcha dos militares e dos estudantes foram, passo a passo, tomando a avenida e levando emoção ao público. As cores vibrantes das fardas e o tom solene misturado à batida forte dos tambores animaram quem foi prestigiar o momento.
                        
Um espetáculo que merece ser visto todos os anos. É o que pensa a dona de casa Marcelina de Jesus Pereira, 56 anos. Há mais de dez anos Marcelina acompanha os desfiles. Este ano levou a neta Suzanne, de oito anos. “Acho muito bonito, importante. Não é só um desfile. É emocionante ver os alunos desfilando”, diz ela. Para a professora Maria Antonieta Resende, 35 anos, o momento é único. “Nossa população merece este momento e nossas polícias, a homenagem”, disse. Por ocasião do desfile, o trânsito foi alterado com interdição em ruas e avenidas próximas.

Histórico

De acordo com o Arquivo Histórico do Exército, as comemorações do Dia da Pátria começaram no século XIX. A data perdeu destaque no período de Regência (1831 a 1840) e voltou a recuperar a importância histórica com a declaração de maioridade de Dom Pedro II, em 1840. Nacionalmente, o principal desfile ocorria no Rio de Janeiro, então capital do País. Depois, com a fundação de Brasília, passou pelo Eixo Rodoviário, pelo Setor Militar Urbano (SMU) até que, em 2003, foi para o local onde ocorre, atualmente, a Esplanada dos Ministérios. Anualmente, milhares de pessoas se reúnem em avenidas na maioria dos municípios do Brasil para celebrar a Independência do País, comemorada neste 7 de setembro com desfiles cívico-militares. Neste ano, está sendo celebrado o 194º ano da independência do Brasil de Portugal, declarada em 1822. 
Fonte: Secap        
Texto: Rafael Arrais e Sandra Viana

Fotos/HandsonChagas
 













Nenhum comentário :

Postar um comentário