Páginas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI
FIQUE EM CASA

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

SEGURANÇAS DE BOLSONARO SÃO PRESOS ACUSADOS DE EXTORSÃO

SEGUNDO DENÚNCIA DO GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO (GAECO), A QUADRILHA EXTORQUIA DINHEIRO DE PESSOAS EM SITUAÇÃO ILEGAL.
Bolsonaro e seu filho Flávio no aniversário dos PMs presos por extorsão e formação de quadrilha. "Essa família é nota mil". Foto: Reprodução - Instagram Flávio Bolsonaro.
A prisão dos irmãos gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, policiais militares que participavam de agendas da campanha do deputado estadual Flávio Bolsonaro, candidato ao Senado pelo PSL do Rio e filho do presidenciável Jair Bolsonaro, causou mal-estar no partido. Um dos motes dos Bolsonaro é o suposto enfrentamento dos criminosos.
Os PMs estão entre os 46 suspeitos que tiveram prisão decretada na Operação Quarto Elemento, deflagrada pelo Ministério Público Estadual em 30 de agosto, que investiga uma quadrilha de policiais especializada em extorsões. Nas últimas semanas, eles acom- panharam Flávio dando apoio de segurança nos eventos de campanha.
Segundo denúncia do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a quadrilha extorquia dinheiro de pessoas em situação ilegal. De acordo com o MP, os gêmeos eram sócios em um loteamento irregular na zona oeste e são suspeitos de constituir, integrar, financiar e promover organização criminosa.
A dupla se aproximou do parlamentar por meio da irmã, Valdenice de Oliveira Meliga, uma das assessoras do filho de Bolsonaro e tesoureira do PSL no Rio. Atualmente, ela ocupa cargo de confiança na liderança do partido e fica lotada no gabinete do deputado estadual. Em junho, recebeu salário de R$ 6.490,00.
Na terça-feira (4), Flávio negou, pessoalmente e por nota, que os irmãos integrassem a sua campanha. Já Valdenice afirmou que os dois atuavam como voluntários nas agendas do deputado estadual.
Em foto postada em uma rede social, Flávio e Jair Bolsonaro aparecem na festa de aniversário dos policiais, no bairro de Campo Grande. Datada de 1º de outubro de 2017, a legenda diz: “Parabéns Alan e Alex pelo aniversário. Essa família é nota mil”.
Outros três policiais denunciados na Operação Quarto Elemento foram homenageados por Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio. Os PMs Leonardo Ferreira de Andrade e Carlos Menezes de Lima e o policial civil Bruno Duarte Pinho receberam “Moções de Louvor e Congratulações” por “serviços prestados à sociedade”.

HORA DO POVO.

Nenhum comentário :

Postar um comentário