Páginas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

sábado, 8 de agosto de 2020

JOVEM INDÍGENA DO MARANHÃO VENCE PRÊMIO NACIONAL DE FOTOGRAFIA

ELITON PAACY GAVIÃO, DE 18 ANOS, FAZ QUESTÃO DE COMPARTILHAR SUAS RAÍZES E A HISTÓRIA DO SEU POVO POR MEIO DA FOTOGRAFIA.Jovem indígena do Maranhão vence prêmio nacional de fotografia. — Foto: Eliton Paacy Gavião.

G1 MA-"Nascido e criado" na aldeia Governador, localizada na cidade de Amarante do Maranhão, a 687 km de São Luís, o jovem indígena Eliton Paacy Gavião, de 18 anos, faz questão de compartilhar suas raízes e a história do seu povo por meio da fotografia.

A paixão e o cuidado em mostrar as belezas dos povos indígenas é tanta, que rendeu para Eliton Paacy o primeiro lugar no festival Indígenas.Br, promovido pelo Centro Cultural Vale Maranhão.

Entre as 20 fotografias enviadas de todo o Brasil para participar do concurso, o registro de Eliton Paacy se destacou ao mostrar com muita beleza e qualidade de imagem uma corrida de Tora.

 

“Meu tema pra concorrer à premiação foi de corrida de Tora. Escolhi três fotos e uma delas foi premiada. A foto premiada foi em uma disputa de corrida de Tora entre os povos Timbiras e Povo Xavante, em Brasília, no encontro de feira dos cerrados”, conta Eliton.

O jovem se inscreveu no concurso de fotografia às vésperas de encerrar o prazo e afirma que não esperava ser o primeiro colocado.

Inspiração no local onde foi "nascido e criado"


Eliton descobriu o gosto pela fotografia na aldeia Governador, em 2016. Ele aperfeiçoou a arte de fotografar por meio do projeto “Coisa de Índio”, onde ganhou sua primeira câmera fotográfica.

E foi com esse incetivo que Eliton Paacy começou a fazer diversos registros com o equipamento semiprofissional, que o acompanha em diversos olhares e registros, como a foto com a qual ele ganhou o concurso.

O jovem afirma que na aldeia recebe muito incentivo da família e dos amigos, que não lhe deixam desistir e ressalta a luta do seu povo.

"Somos do povo Pyhcopcatiji Gavião-MA. A área Pyhcopcatiji é muito pequena, nós estamos lutando para ampliar. É uma área muito pequena e muito devastada pelos não indígenas", destaca.

Nenhum comentário :

Postar um comentário