ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

sábado, 18 de dezembro de 2021

AGED REALIZA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA EM PONTOS DE RISCOS NA REGIONAL DE CAXIAS

O TRABALHO PLANEJADO PROPORCIONA MELHORES RESULTADOS ÀS ATIVIDADES,  OBTENDO  MELHOR APROVEITAMENTO DO TEMPO, DESTACOU O TÉCNICO EM FISCALIZAÇÃO AGROPECUÁRIA, RENATO GREGÓRIO.

Por Suyane Scanssette.

Fiscais da AGED da Unidade Regional de Caxias realizaram na última sexta-feira(17) a vigilância epidemiológica ativa em pontos de risco como rodoviária, campo de pouso de aeronaves e de correição municipal.

Em fiscalização ao campo de pouso foram observadas as condições das cercas, observado se existe circulação de animais e repassadas orientações sobre as regulamentações para o transporte de animais, vegetais, produtos e subprodutos de origem animal e vegetal que deve estar condicionado a documentação zoofitossanitária obrigatória.

Na rodoviária os fiscais abordaram ônibus em circulação para averiguação da parte de carga, além de repassarem orientações técnicas aos funcionários das empresas sobre as condições para transporte de produtos alvo da fiscalização da AGED.

A fiscalização na correição municipal constatou a presença de dois animais equinos, sendo um macho e uma fêmea que estão sob os cuidados municipais até a manifestação dos proprietários que devem providenciar documentação sanitária obrigatória para equinos.

“O trabalho planejado proporciona melhores resultados às atividades desenvolvidas, pois permite integração entre defesa animal e vegetal o que reflete nos indicadores obtidos com a otimização e melhor aproveitamento do tempo nas atividades”, destacou o técnico em fiscalização agropecuária, Renato Gregório.

Fiscalização em embarcações

A equipe da AGED ainda realizou a fiscalização e vigilância epidemiológica em embarcações de transporte de passageiros.

Esta atividade foi desenvolvida em função do constante fluxo de pessoas entre as duas cidades utilizando-se das embarcações e costumeiramente transportando mercadorias de diversos gêneros.

Desta forma os responsáveis pelo empreendimento são orientados sobre as restrições quanto aos produtos e subprodutos de origem animal e vegetal sem a devida documentação zoofitossanitária.

 Na oportunidade os fiscais realizaram ainda ações de educação sanitária junto a população, informando sobre os riscos à saúde em função do consumo de tais produtos que não tenham procedência sanitária.

 

Nenhum comentário :

Postar um comentário