ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quarta-feira, 22 de junho de 2022

PRISÃO DE MILTON RIBEIRO: PF CUMPRE MANDADO DE BUSCA NA SEDE DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

PF DEFLAGROU OPERAÇÃO PARA INVESTIGAR ESQUEMA ENVOLVENDO ATUAÇÃO DE PASTORES NA LIBERAÇÃO DE VERBAS DO MEC. EX-MINISTRO MILTON RIBEIRO FOI PRESO.

A sede do Ministério da Educação, em Brasília, foi um dos alvos de mandados de busca autorizados pela Justiça e cumpridos pela Polícia Federal nesta quarta-feira (22) dentro da investigação que apura um suposto esquema envolvendo a atuação de pastores para a liberação de recursos da pasta.

Na mesma operação, a PF prendeu o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores suspeitos de envolvimento em irregularidades.

Em nota encaminhada na manhã desta quarta, o Ministério da Educação informou que "recebeu equipe da Polícia Federal para continuar colaborando com todas as instâncias de investigação que envolvem a gestão anterior da pasta."

"No sentido de esclarecer todas as questões, o MEC reforça que continua contribuindo com os órgãos de controle para que os fatos sejam esclarecidos com a maior brevidade possível. O MEC ressalta que o Governo Federal não compactua com qualquer ato irregular e o continuará a colaborar com as investigações", diz o ministério.

Prisão do ex-ministro

Milton Ribeiro foi preso em Santos (SP) e deve ser levado para Brasília. Segundo o porteiro do prédio em que ele mora, o ex-ministro foi levado por agentes da PF por volta das 7h. Veja abaixo o vídeo que mostra o momento da prisão.

O ex-ministro é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC.

A TV Globo apurou que os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura também foram alvos da operação deflagrada pela PF nesta quarta. Eles são investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação de recursos do Ministério da Educação.

Em áudio divulgado em março, Ribeiro afirma que o presidente Jair Bolsonaro pediu a ele que os municípios indicados pelos dois pastores recebessem prioridade na liberação de recursos. Prefeitos disseram em depoimento que eles exigiram propina.


G1 MA.


Nenhum comentário :

Postar um comentário