Páginas

GOVERNO DO MARANHÃO

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

ABSURDO: JUÍZA MANDA SOLTAR ENVOLVIDOS EM INCÊNDIOS A ÔNIBUS

AGORA ENTENDI A POLÍCIA PRENDE E A JUSTIÇA SOLTA 
Parte da quadrilha que tocou o terror em São Luís: a polícia prende, a Justiça solta
Parte da quadrilha que tocou o terror em São Luís: a polícia prende, a Justiça solta
A juíza auxiliar da 1ª Vara Criminal determinou nesta quinta-feira (23) a soltura dos criminosos Sansão dos Santos Salles e Julian Jeferson Sousa da Silva, acusados de participação nos ataques a ônibus que resultaram na morte da menina Ana Clara Souza.
A informação foi dada em primeira mão pelo jornalista Geraldo Castro, no programa Abrindo o verbo, da Mirante AM.
Os dois bandidos foram presos logo depois dos atentados, após investigação da polícia que resultou na prisão de outros 14 marginais apontados como coautores dos crimes.
Além dos ataques a ônibus e da morte da menina Ana Clara, o bando é acusado também de atirar contra delegacias de polícia na capital maranhense.
Mas a juíza entendeu não haver razão para que eles fiquem presos…

2 comentários :

  1. Falta capacidade dos juízes brasileiros para saírem do contexto dos livros para o fato real, ou seja, grupos que planejam ataques, atuam em conjunto para disseminar desordem, no resto do mundo São considerados terroristas, como as farcs( Colômbia), Eta,(Espanha), Al-Queda(Afeganistão, Iraque, Líbano, Síria , Estados Unidos), Irá(Irlanda, Inglaterra), Brigadas Vermelhas(Itália), etc. O mundo é uma bola, sendo assim gira para todo mundo inclusive os protegidos.

    ResponderExcluir
  2. Falta capacidade dos juízes brasileiros para saírem do contexto dos livros para o fato real, ou seja, grupos que planejam ataques, atuam em conjunto para disseminar desordem, no resto do mundo São considerados terroristas, como as farcs( Colômbia), Eta,(Espanha), Al-Queda(Afeganistão, Iraque, Líbano, Síria , Estados Unidos), Irá(Irlanda, Inglaterra), Brigadas Vermelhas(Itália), etc. O mundo é uma bola, sendo assim gira para todo mundo inclusive os protegidos.

    ResponderExcluir