Páginas

GOVERNO DO MARANHÃO

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

EM PARAIBANO, GOVERNO REALIZA PRIMEIRA REUNIÃO DE MOBILIZAÇÃO DA AGRITEC DO TERRITÓRIO SERTÃO MARANHENSE

PARAIBANO, DISTANTE 518 KM DE SÃO LUÍS, SEDIARÁ A PRIMEIRA FEIRA DE AGRICULTURA FAMILIAR E AGROTECNOLOGIA DO MARANHÃO (AGRITEC), NOS DIAS 6 A 8 DE ABRIL.
Reunião serviu para mobilização e planejamento das ações. (Foto: Divulgação)

Conhecida como a capital brasileira da abóbora, a cidade de Paraibano, distante 518 km de São Luís, sediará a primeira Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritec), nos dias 6 a 8 de abril. Na manhã de quarta-feira (15), uma comitiva do Governo do Estado e parceiros se reuniram na Câmara Municipal, em Paraibano, para realizar a primeira reunião de planejamento, mobilização e organização da Agritec do Território Sertão Maranhense.
A região tem um povo forte e trabalhador, onde o maior orgulho da população é a produção de abóbora. O cultivo dessa hortaliça fruto, rica em vitamina A, vem sendo a maior fonte de renda de pequenos, médios e grandes produtores que exportam para cidades como Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, Recife/PE, Maceió/AL, Teresina/PI e São Luís/MA.

Um estudo realizado pelo Sebrae-MA, apresentado no município de Colinas ano passado, identificou uma nova área produtiva no Maranhão. Trata-se do Polígono da Abóbora que engloba os municípios de Colinas, Paraibano, Buriti Bravo, Passagem Franca, Sucupira do Norte, Pastos Bons, São João dos Patos, Lagoa do Mato e Mirador, envolvendo mais de 2 mil famílias em assentamentos rurais, áreas quilombolas e propriedades rurais de pequenos porte. Nessa região são comercializadas mais de 12 mil toneladas por ano, mas a produção total estima-se em 24 mil toneladas anuais.
“A realização da Agritec nesse território vai fortalecer ainda mais a cadeia produtiva da abóbora e outras culturas como o abacaxi, bastante cultivado em São Domingos do Maranhão, e a produção de cachaça em Paraibano. Além disso, vamos proporcionar conhecimento para que o agricultor possa desenvolver outras culturas como produção de frutas, criação de pequenos animais e, com tecnologias simples, possa gerar renda e ter qualidade de vida”, pontuou Chico Sales, secretário adjunto de organização produtiva e comercialização da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar.
Segundo o coordenador da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Estado do Maranhão (Fetaema) da região, Edison Francisco Barbosa, a expectativa do agricultor na Agritec é realmente adquirir conhecimento e ser estimulado a produzir com mais empenho, porque 60% do alimento que chega na mesa dos maranhenses é da agricultura familiar.
“Acredito que nós vamos reanimar nossos agricultores familiares, porque tínhamos um período de muita produção, mas não tinha mercado, hoje temos mercado com o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar, o PNAE, e não temos produto. Então nosso agricultor vai buscar na Agritec conhecimentos sobre esses canais de comercialização e conhecimentos para produção com qualidade”, destacou Edison Francisco Barbosa.
“Com a realização da Agritec temos a expectativa da dinamização do território e esperamos que o conhecimento adquirido na Feira possa ser aplicado pelo agricultor em sua produção. O Sebrae se coloca à disposição dos agricultores durante e, também, após a Agritec para fortalecer, por meio de consultorias, as cadeias produtivas da região”, enfatizou o gerente do Sebrae da Regional de Balsas, Mauricio Lima.
Para o gestor Regional da Agerp de São João dos Patos, Ednaldo Quirino, a Feira é diferente de outras feiras agropecuárias, a Agritec é direcionada para que o agricultor familiar tenha acesso a diversos conhecimentos relacionados à produção agrícola. É formada por espaços tecnológicos com demonstração de pequenas alternativas de cultivo viáveis para o produtor, oficinas, palestras, cursos, comercialização de produtos cultivados por agricultores dos municípios da região, dentre outros atrativos.
Durante a reunião da comissão de organização, estavam presentes a coordenadora da Feira e superintendente de comercialização da SAF, Marilene Bandeira, que conduziu a reaunião; o diretor de pesquisa da Agerp, José Malheiros; representando o prefeito Zé Hélio, de Paraibano, estiveram presentes Railton Sousa e representantes de 13 municípios da região: Paraibano, Colinas, Pastos Bons, São João dos patos, Balsas, Presidente Dutra, Nova Iorque, Sucupira do norte, Mirador, Buriti Bravo, São Domingos do Azeitão, Passagem Franca, Lagoa do Mato e instituições de ensino como Uema, IFMA, além da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) e movimentos sociais.

A Agritec é uma realização do Governo do Estado do Maranhão, por meio do Sistema da Agricultura Familiar, composto pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma). A Feira é realizada por meio de parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Cocais, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), movimentos sociais (FETAEMA, MST, ACONERUQ, MIQCB E FETRAF-MA) e prefeitura do município onde o evento é sediado.


Nenhum comentário :

Postar um comentário