Páginas

GOVERNO DO MARANHÃO

domingo, 31 de dezembro de 2017

ROSEANA NÃO ESTÁ COM A MENOR DISPOSIÇÃO PARA DISPUTAR A ELEIÇÃO DE 2018

OUTRO FATOR QUE SEMPRE PESOU NAS ELEIÇÕES DE ROSEANA, MAS QUE AGORA NÃO FARÃO PARTE DE SUA POSSÍVEL CANDIDATURA SÃO OS POLPUDOS CONVÊNIOS QUE ERAM CELEBRADOS COM PREFEITOS, SOBRETUDO NO ANO DA ELEIÇÃO.
                                
Com o tempo passando, a rejeição aumentando e o percentual de votos caindo até em pesquisas fabricadas nos porões da TV Mirante, a ex-governadora Roseana Sarney está cada vez mais indisposta para enfrentar o veredito da população sobre os 50 anos de domínio da sua família.
As razões para a indisposição de Roseana são múltiplas. Primeiro que ela nunca teve que se esforçar tanto para se eleger a todos os cargos que disputou na vida. Desde sua entrada na política, sempre foi conduzida por seu pai, José Sarney, e por aliados, que, mesmo sendo tratados com indiferença por ela própria, sempre se esforçavam pelo chefe da oligarquia na esperança de também serem amparados pela filha.
Outro fator que sempre pesou nas eleições de Roseana, mas que agora não farão parte de sua possível candidatura são os polpudos convênios que eram celebrados com prefeitos, sobretudo no ano da eleição. Sempre que esteve no poder, a ex-governadora distribuía muito dinheiro para obter apoio, já que nunca gostou de se esforçar tanto para conseguir votos.
Outra coisa que já ajudou no passado e que agora será, inclusive, um entrave para suas pretensões de voltar ao poder é o apoio do ex-presidente Lula. Muito popular no Maranhão, ele foi fator determinante para vitórias em que apoiou sarneysistas, sobretudo a própria Roseana.
Sem todos esses fatores que pesaram durante anos para Roseana, elegendo-a, inclusive, sem nem mesmo sair de uma sala de hospital, ela vai ter que suar a camisa para enfrentar um governador bem avaliado e trabalhador como Flávio Dino.
Como trabalho não faz parte do vocabulário de Roseana, a disposição dela em disputar o governo mais uma vez é mínima. Talvez seja por isso que a ‘princesa da oligarquia’ ainda não tenha dito com convicção que será candidata. Se depender apenas da sua vontade isso não ocorrerá. O problema é a pressão externa da própria família.
Resta saber o que pesará para a decisão final de José Sarney.

Blog do Garrone

Nenhum comentário :

Postar um comentário