Páginas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

URGENTE: RICARDO MURAD EX-SECRETÁRIO DE SAÚDE É PRESO PELA POLÍCIA FEDERAL

AO TODO FORAM EXPEDIDOS PELA 1ª VARA CRIMINAL FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO MARANHÃO 19 MANDADOS DE BUSCA E APREENSÃO, OITO MANDADOS DE PRISÃO TEMPORÁRIA E UM MANDADO DE PRISÃO PREVENTIVA CONTRA ENVOLVIDOS EM DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS NA SAÚDE.
                                      
 
A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira (18) 19 mandados de busca e apreensão, oito mandados de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva contra envolvidos em desvios de recursos públicos na Saúde. Entre os mandados de prisão, um deles em São Luís, é contra o ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad.
A ordem de prisão foi expedida pela 1ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Maranhão. A Polícia Federal apura o desvio de cerca de R$ 2 milhões do sistema estadual de Saúde, entre 2011 e 2013.
As diligências estão sendo realizadas em seis cidades: São Luís, Imperatriz, no Maranhão, Parauapebas, no Pará, Palmas, no Tocantins, Brasília, no Distrito Federal e Goiânia, em Goiás, em duas operações simultâneas da Operação Sermão aos Peixes. Foi determinado o bloqueio judicial e sequestro de bens num valor total que supera R$ 15 milhões.

A operação conhecida como Abscondito II, foi deflagrada em 2016, na qual Polícia Federal avançou na investigação sobre o vazamento da primeira fase da operação Sermão aos Peixes e reuniu prova de que os membros da organização criminosa conseguiram cooptar servidores públicos para a obtenção de informações privilegiadas da investigação. De posse de tais informações, houve a destruição e ocultação de provas.

Além disso, violando medidas cautelares impostas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, um dos investigados teria dilapidado seu patrimônio e transferido seus bens para terceiros visando impedir que fosse decretada a perda de tais bens.
As pessoas investigadas poderão responder pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, dentre outros que possam ainda ser apurados. Após os procedimentos legais, os presos serão encaminhados ao sistema penitenciário estadual, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal.


Domingos Costa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário