ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 22 de abril de 2021

HOMENS CONSCIENTES NA PREVENÇÃO À VIOLÊNCIA FAMILIAR E CONTRA A MULHER

 O “PROGRAMA HOMEM CONSCIENTE” – INICIATIVA DA COORDENADORIA ESTADUAL DA MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO MARANHÃO

Como forma de incentivo e conscientização, o “Programa Homem Consciente” inicia campanha de divulgação de frases de personalidades do Poder Judiciário do Maranhão e da sociedade, com o objetivo de sensibilizar o público masculino para a prevenção de atos violentos nas relações íntimas de afeto, domésticas e familiares. 

O “Programa Homem Consciente” – iniciativa da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Maranhão (CEMULHER/TJMA) – com o objetivo divulgar conteúdos sobre masculinidade, como artigos, relatórios, dossiês e outras publicações e práticas de grupos reflexivos realizados pelas varas especializadas e comarcas do Maranhão, com relatórios, vídeos, relatos de experiência e entrevistas.

A ação é iniciada com o presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, desembargador Lourival Serejo e o presidente da CEMULHER, desembargador Cleones Carvalho Cunha.

 

O Programa prevê ainda ações educativas como palestras e rodas de diálogos, presenciais ou online, com foco no público masculino em diversos espaços como escolas, igrejas, empresas e instituições, além da promoção de ações formativas para servidores e magistrados, nas temáticas de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher.

A ação é justificada pela importância de conscientização dos homens sobre os impactos de comportamentos sexistas e violentos na sua própria vida, saúde e nas suas relações amorosas e familiares, como forma de prevenção e enfrentamento da violência contra a mulher e para a construção de uma cultura de paz. Em 2020, o Maranhão registrou 60 casos de feminicídio; um aumento de 7 casos em relação a 2019, quando foram registrados 53.

O “Programa Homem Consciente” também promove a formação de grupos reflexivos com homens, estimulando-os à responsabilização dos próprios atos e incentivando-os a serem agentes multiplicadores da Lei Maria da Penha e protagonistas no engajamento contra a violência de gênero, numa perspectiva educativa e não punitivista. 

Mais informações da Página da CEMULHER, no Portal do Poder Judiciário do Maranhão.

 Agência TJMA de Notícias
asscom@tjma.jus.br

 


Nenhum comentário :

Postar um comentário