ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

ROBERTO ROCHA ADOTA ESTRATÉGIA APÓS SABER QUE ESTÁ SENDO INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAL POR VENDA DE EMENDAS

 A APURAÇÃO SOBRE A VENDA DE EMENDAS FOI DIVULGADA PELO MINISTRO WAGNER ROSÁRIO, DA CGU (CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO).

O jornalista Breno Pires, do O Estado de São Paulo, publicou na semana passada que ao menos 4 congressistas são alvo de uma investigação da PF (Polícia Federal) sobre a venda de emendas parlamentares. São pelo menos 2 inquéritos sob sigilo no STF (Supremo Tribunal Federal) para investigar o chamado “feirão das emendas”.

A apuração sobre a venda de emendas foi divulgada pelo ministro Wagner Rosário, da CGU (Controladoria Geral da União) na 4ª feira (6.out.2021), em uma audiência pública na Câmara dos Deputados. Na ocasião, Wagner afirmou que “vários casos” estavam em apuração e que não havia dúvidas de irregularidades. “Não temos dúvidas de que vai existir corrupção na ponta, agora o nosso trabalho [de apuração] tem que ser bastante cauteloso.” Disse.

Por sua vez, o site ATUAL7, alega que obteve documentação exclusiva na qual consta que um dos investigados é o senador maranhense Roberto Rocha (PSDB-MA).

O sigiloso inquérito foi aberto com base em anotações manuscritas e mensagens em aparelhos celulares apreendidas no bojo da Operação Ágio Final, deflagrada pela PF do Maranhão em dezembro de 2020.

Na ocasião, foi preso o empresário Josival Cavalcante da Silva, conhecido como Pacovan – um dos maiores agiotas do Maranhão. O objetivo da operação foi desarticular suposto esquema de extorsão contra prefeituras maranhenses que foram beneficiadas com emendas destinadas por diversos congressistas.

Assim que tomou conhecimento, na semana passada, que é um dos alvos da Polícia Federal, o senador Roberto Rocha tratou de adotar uma estratégia malevolente para tentar se justificar.

O político sustenta que está sendo vítima de “perseguição política” por parte do governador Flávio Dino. E durante uma live em sua redes sociais, chegou a se comparar com o deputado Josimar de Maranhãozinho, alvo da “Operação Maranhão Nostrum” deflagrada no início deste mês.

Roberto Rocha subestima mais uma vez a inteligência do povo maranhense, é público que a investigação da Polícia Federal é completamente independente e, portanto, não possui nenhuma relação com o Palácio dos Leões, mas sim, com sérias suspeitas de vendas de emendas parlamentares que nunca chegaram efetivamente a sua finalidade.

Verdade seja dita, Rocha sabe que a PF se aproxima e entrou em desespero…

Domingos Costa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário