Páginas

GOVERNO DO MARANHÃO

domingo, 23 de agosto de 2015

POLÍCIA FEDERAL FECHA CERCO PARA PRENDER LIDIANE LEITE PREFEITA FORAGIDA DE BOM JARDIM

A PREFEITA  DE  BOM JARDIM MA LIDIANE LEITE CONTINUA FORAGIDA
A Polícia Federal (PF) reforçou a vigilância em aeroportos e rodoviárias do Maranhão para capturar a prefeita de Bom Jardim (MA) Lidiane Leite (PP), foragida desde quinta-feira (20), quando foi deflagrada a “Operação Éden”, que investiga denúncias de desvios de verbas da educação no Município.
“Solicitamos a todos os cidadãos de bem do Estado do Maranhão que cada um deles se torne um agente da Polícia Federal e nos auxilie na captura dessa pessoa”, disse o superintendente regional Alexandre Saraiva, em entrevista coletiva concedida na quinta-feira.
Foram presos o ex-secretário de Agricultura, Antônio Gomes da Silva, conhecido como “Antônio Cesarino”, e de Assuntos Políticos, Humberto Dantas dos Santos, conhecido como Beto Rocha, que seria ex-namorado da prefeita. Segundo o delegado Ronildo Lajes, a repercussão nacional do caso acelerou a deflagração da operação.
“Acontece que, com a publicação da reportagem, por decorrência da repercussão até nacional, nós percebemos no monitoramento que os alvos estavam se movimentando muito, tentando conversar com testemunhas e há rumores no local de que eles estavam tentando evadir-se”, explicou.
“Mesmo sendo policiais federais, somos humanos e estamos absolutamente indignados porque chegou ao nosso conhecimento que as crianças estavam sendo dispensadas mais cedo das aulas por falta de alimentação”, revelou o delegado Fabrizio Garbi. Apesar de todo o esforço da Polícia Federal, até o fechamento desta edição, ontem a noite por volta das 22h não havia nenhum paradeiro sobre a prefeita que continuava foragida. A expectativa é que ela se apresentasse ainda na noite de ontem com advogados na sede da Polícia Federal em São Luís. Se isso não aconteceu e não vier a acontecer no decorrer deste final de semana, a situação da prefeita foragida poderá ficar vez mais pior, uma vez que a PF promete fazer uma varredura em qualquer lugar onde ela possa estar, e com ampla divulgação da fuga dela, estradas e aeroportos estão vigilantes e a prisão dela pode ser questão de horas ou dias.  

Desvios
A polícia investiga transferências realizadas da conta da prefeitura para a conta pessoal de Lidiane que chegam a R$ 40 mil em um ano. Também foram feitas transferências para o advogado da prefeitura, Danilo Mohana, que somam mais de R$ 200 mil em pouco mais de um ano.
Além da prefeita, secretários, ex-secretários e empresários também estão sendo investigados por causa de irregularidades encontradas em contratos firmados com “empresas-fantasmas”. Houve duas licitações para reformar 13 escolas, pelas quais a “Zabar Produções” obteve R$ 1,3 milhão e a “Ecolimp” recebeu R$ 1,8 milhão. Nenhuma das empresas foi encontrada. Em 2013, a prefeitura firmou contrato com 16 agricultores para o fornecimento de merenda escolar nas escolas municipais, pelos quais cada agricultor receberia em média R$ 18 mil por ano. Os agricultores afirmaram que não receberam os pagamentos.

Afastamentos
A Justiça do Maranhão havia determinado o afastamento da prefeita pelo prazo de 180 dias em dezembro de 2014, com base no descumprimento da regularização das aulas e do fornecimento de merenda e de transporte escolar em Bom Jardim. Na ação, o Ministério Público do Estado afirma que Lidiane havia apresentado informações falsas a respeito das irregularidades, mas as informações acabaram desmentidas por meio de denúncias dos próprios moradores da cidade. A gestora também já havia sido citada pela Justiça por má conduta no início de 2014, quando foi deferida liminar, a pedido do MP-MA, para declarar a ilegalidade de decreto municipal que tornou nulas as nomeações dos excedentes do concurso público homologado em novembro de 2011.

BALANÇO DA OPERAÇÃO “ÉDEN” EM BOM JARDIM

Durante todo o dia de quinta-feira a Polícia Federal deflagrou uma operação na cidade de Bom Jardim para desarticular  um esquema montado pela prefeita Lidiane juntamente com seu ex-marido Beto Rocha e mais o ex-secretário de agricultura Antônio Cesarino onde os gestores estariam desviando dinheiro da merenda escolar através de golpes dados em pequenos agricultores da cidade. O golpe consistia em utilizar a boa vontade dos agricultores para assinarem documentos em branco, para poderem justificar os saques do programa, dinheiro direto ao agricultor familiar. Este programa incentiva os agricultores da cidade a venderem seus produtos diretamente à prefeitura para serem utilizados no complemento da merenda escolar.
A Polícia Federal e o Ministério Público descobriram que além dessas pessoas não serem agricultores, as crianças das escolas estavam sendo liberadas mais cedo por falta da merenda escolar.Foram recolhidos vários documentos na casa dos acusados que serão analisados nos próximos trinta dias, tempo mínimo da prisão preventiva que foi decretada para os três envolvidos.
Foram presos os ex-secretários de Agricultura, Antônio Gomes da Silva, conhecido como ‘Antônio Cesarino’ – também presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Bom Jardim (STTR) – e de Assuntos Políticos, Humberto Dantas dos Santos, conhecido como Beto Rocha, namorado da prefeita de Bom Jardim Lidiane Leite (PP).
Os desvios são investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão (MP-MA) e Ministério Público Federal (MPF). Nesta semana, o assunto ganhou repercussão nacional, em reportagem do ‘Bom Dia Brasil’. 
A reportagem teve acesso, com exclusividade, ao conteúdo das investigações do Gaeco: são possíveis fraudes em licitações, desvio de dinheiro da merenda escolar e transferências bancárias irregulares. “Eu não me importo, quero que investigue sim, quero que se puna o responsável, se houver, que eu não sei se há”, disse a prefeita.
A polícia investiga transferências da conta da prefeitura para a conta pessoal de Lidiane, feitas alguns meses depois da posse. São várias transferências de cerca de R$ 1 mil que chegam a R$ 40 mil em um ano.

Prefeita por acaso
Antes de entrar para a política, Lidiane, que se tornou prefeita aos 22 anos quase por acaso, trabalhava em um mercado. Em 2012, o namorado dela na época, Beto Rocha, era candidato a prefeito. Só que ele foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa e teve a candidatura impugnada. Lidiane assumiu o lugar do namorado e foi eleita.
Depois que assumiu o cargo, Lidiane passou a compartilhar fotos da sua nova rotina nas redes sociais. Nesta postagem, ela diz “eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem.” E completa: “beijinho no ombro pros recalcados”.

Afastamento em 2014
Em dezembro de 2014, a Justiça do Maranhão havia determinado o afastamento da prefeita pelo prazo de 180 dias, baseado no descumprimento judicial relacionado à regularização das aulas na educação infantil e fundamental, fornecimento de merenda e transporte escolar no município maranhense.
De acordo com a ação, protocolada pelo MP-MA, a gestora municipal havia apresentado informações falsas a respeito das irregularidades, com o objetivo de apresentar o regular cumprimento das determinações impostas pela a Justiça. Porém, as informações foram desmentidas por meio de denúncias realizadas pelos próprios moradores da cidade.
Não foi a primeira vez que a gestora era citada pela Justiça por má conduta: no início de 2014, a Justiça deferiu liminar, a pedido do MP-MA, para declarar a ilegalidade de decreto da prefeita que tornou nulas as nomeações dos excedentes do concurso público homologado em novembro de 2011.

07:04 - 22/08/2015











Agora Santa Inês

Nenhum comentário :

Postar um comentário