Páginas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

sábado, 9 de março de 2019

PROCURADORIA PROCESSA ADRIANO E SARNEY FILHO POR USO IRREGULAR DE HELICÓPTERO PÚBLICO EM CAMPANHA

DE A CORDO COM O PROCESSO, NA CAMPANHA DE 2014 O FILHO E O NETO DE JOSÉ SARNEY (MDB-MA) USARAM UM HELICÓPTERO PÚBLICO, ALUGADO PELA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DO MARANHÃO (SEMA)
                                  
A Procuradoria Geral do Maranhão (PGE) apresentou ação de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito contra o ex-ministro e hoje secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, Sarney Filho (PV-MA), e seu filho o deputado estadual Adriano Sarney (PV-MA) por uso de um helicóptero oficial do Estado para fins pessoais e eleitorais.
Segundo o processo assinado pelo procurador Rodrigo Maia, na campanha de 2014 o filho e o neto de José Sarney (MDB-MA) usaram um helicóptero público, alugado pela Secretaria do Meio Ambiente do Maranhão (SEMA), em transporte para eventos de campanha no interior do Estado. Na ação o procurador aponta o ato de improbidade administrativa com indícios de enriquecimento ilícito.
Ao apontar desvio de finalidade no uso da aeronave, o procurador pede a indisponibilidade dos bens do réus e o ressarcimento de R$ 686.142 mil ao cofres públicos. Solicita também que Sarney e Adriano sejam condenados à perda da função pública e suspensão dos direitos políticos por até 10 anos.
“Com efeito, ficou evidenciado que os Réus, José Sarney Filho e Adriano Sarney, foram os reais beneficiários dos voos, vez que fretados e custeados com recursos estaduais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais – SEMA, para atender a seus interesses particulares, especificamente para deslocamentos aéreos em eventos políticos-eleitorais em diversos municípios do Estado do Maranhão”, diz trecho da ação apresentada em 18 de fevereiro.
Até o fechamento da matéria a assessoria de Sarney Filho não se pronunciou. A de Adriano prometeu que falaria com o deputado ainda na noite dessa sexta, porém, logo após apagou as mensagens no whtsapp e não mais retornou as mensagens.
Da Revista Fórum 

Nenhum comentário :

Postar um comentário